Bem-vindo à nossa loja online!

0 items

Chaminé da locomotiva a Vapor da E. de F. Madeira Mamoré-RO, 1983.

Dê Sua Opinião Sobre o Produto

Disponível: Em estoque

R$20,00

Resumo

Maria fumaça nº 50 da E.F.M-Mamoré.

Chaminé da locomotiva a Vapor da E. de F. Madeira Mamoré-RO, 1983.

Duplo clique para aumentar imagem

Afastar
Aproximar

Mais Imagens

* Campos Obrigatórios

R$20,00

Detalhes

A Estrada de Ferro Madeira – Mamoré, também conhecida como a estrada do “diabo” pelas perdas humanas ocorridas durante a sua construção, foi construída no período de 1907 a 1912, num projeto de interligar Porto Velho a Guajará – Mirim, estado de Rondônia, na fase áurea da borracha amazônica. Milhares de trabalhadores morreram durante a construção, não somente por acidentes de trabalho, mas vítimas de doenças tropicais. Com o intuito de criar uma passagem sobre o rio Madeira, na época em que o Brasil adquiria a posse sobre o estado do Acre pelo Tratado de Petrópolis, foi implantado o projeto “Madeira-Mamoré Railway” que objetivava facilitar a distribuição da borracha amazônica proveniente das matas bolivianas e brasileiras até Porto Velho, que funcionário como ponto de escoagem. A partir de Porto Velho, a borracha e outras mercadorias seguiam via fluvial pelo rio Madeira e pelo rio Amazonas até o oceano Atlântico. Antes da construção da ferrovia, a borracha seguia em canoas artesanais feitas pelos índios. O projeto da ferrovia recebia investimentos do empresário norte-americano Percival Farquhar. A ferrovia foi finalizada em 30 de abril de 1912, data que marcou a fundação da cidade de Guajará-Mirim. Com a decadência da borracha brasileira, em decorrência do plantio da seringueira na Ásia, a ferrovia também entrou em crise. Nos anos 30, a Estrada de Ferro foi parcialmente desativada, sendo destinada ao abandono. Nos anos 50, voltou a operar servindo na distribuição de mercadorias e passageiros, integrando as dezoitos empresas da Rede Ferroviária Federal. Porém, os prejuízos permaneciam, em 1966, a ferrovia foi desativada por completo pelo então presidente Castelo Branco. A ferrovia seria substituída pela construção das rodovias BR-425 e BR-364 entre Porto Velho e Guajará-Mirim. O abandono total da ferrovia iniciou-se em 1972. Retornou à atividade em 1981, cobrindo um trecho de 7 km, para fins turísticos, sofrendo novo abandono no ano de 2000. Atualmente, mesmo sem operação e serviços regulares, a estrada é tombada desde o dia 10 de novembro de 2005, pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. A estrada serviu de tema para a minissérie da TV Globo “Mad Maria”. Fontes: http://pt.wikipedia.org/wiki/Estrada_de_Ferro_Madeira-Mamoré http://www.efmm.net/pagina 1.htm

Informação Adicional

Nome Chaminé da locomotiva a Vapor da E. de F. Madeira Mamoré-RO, 1983.
Fotografo Kim-Ir-Sen

Tags do Produto

Use espaços para separar as Tags. E aspas simples (') para frases.